Durante o III Seminário Internacional de Soluções Baseadas na Natureza, representantes do setor privado, de instituições de pesquisa e organizações não governamentais de vários estados brasileiros, (CE, PE, MG, SP, DF, RJ) e também da Itália, Espanha e Portugal, se reuniram, em 11 de março, em Brasília, para participar de uma oficina sobre o trabalho realizado pelo Observatório de Inovação para Cidades Sustentáveis (OICS), do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, no âmbito do projeto CITinova.

O coordenador-técnico do OICS, Marco Lobo, ressaltou a importância do apoio e validação dos especialistas da área: “A plataforma é uma cocriação e não um depositório, ela tem que ser viva”.

Raiza Gomes Fraga e Monique Pinheiro Santos, analistas técnicas do CGEE, e os consultores Cecília Herzog e Claudio Egler apresentaram com detalhamento como está sendo desenvolvido o levantamento de soluções e estudos de caso e a caracterização do território para constituição das tipologias do OICS.

Em seguida, os especialistas da área se dividiram em pequenos grupos para responder questões e trazer contribuições para o levantamento de soluções e para tipologias do território, com o objetivo de validação e aprimoramento dos conteúdos.

Para Patrícia Bezerra, da Geoeconômica Estudos e Pesquisas em Sustentabilidade, que participou da oficina “é uma oportunidade excelente para fazer uma base de futuras decisões, um brainstorm, pois também existem outras metodologias possíveis para chegar em soluções precisas.”

“Foi muito interessante ver todas esses diferentes atores participando do evento e mostrando o interesse nas Soluções Baseadas na Natureza”, afirmou Tiago Freitas, da Comissão Européia. “Agora eles vão levar todo esse conteúdo para suas instituições e municípios. E assim tornar as SbN cada vez mais importantes e implementadas no Brasil.”

Atividade do grupo traz contribuições para a OICS. Foto: Gabriela Fonseca.

Leia também